Oscar Parte I: Lincoln

Estava eu, sentadinha, assistindo à entrega do Oscar (esperando que ela começasse e vendo os lindos vestidos), fuçando na internet, quando pensei: “espera, eu tenho um blog, eu posso fazer um post enquanto isso, porque eu não posso abandoná-lo novamente, e… espera, eu assisti a um filme hoje que foi indicado ao Oscar em diversas categorias!” E eis que  eu fui  fazer um post em homenagem à entrega do Oscar, quando deveria já estar dormindo.

O problema e o porquê de o post não ter aprecido ontem mesmo? Nosso querido blogger resolveu brincar comigo e imitar o facebook em sua brincadeira de não conectar. Portanto, cá estou eu, mudando os tempos verbais e atualizando os post

De início, eu queria fazer um post sobre o livro e o filme “O Lado Bom da Vida” – vocês viram que o novo lauout foi meio que inspirado na capa desse livro? –, cuja atriz ganhou ou Oscar (Jennifer Lawrence). Porém… Não terminei de ler o livro ainda – por falta de tempo, pois o livro é muito legal, divertido e interessante, mas deixo os elogios para a resenha dele – e comecei a assistir ao filme, mas não terminei porque me recusava a saber o final do livro antes do término da leitura – embora sejam um pouco diferentes já de início.

Por fim, fiquei em dúvida, pois lembrei que também tinha assistido ao filme “Os Miseráveis”. Então, minha decisão foi dar um prêmio aos leitores e fazer um post duplo! Na parte I, “Lincoln”, na parte II, “Os Miseráveis” – e, posteriormente, uma parte III, com "O Lado Bom da Vida"

MV5BMTQzNzczMDUyNV5BMl5BanBnXkFtZTcwNjM2ODEzOA@@._V1_SY317_CR0,0,214,317_

Filme: Lincoln
Diretor: Steven Spielberg
Ano: 2012
http://filmow.com/lincoln-t29530/

 

 

O filme contará a vida do presidente americano Abraham Lincoln, o drama será centrado na condução do Norte à vitória na Guerra da Secessão. A trama, roteirizada pelo dramaturgo Tony Kushner, se baseia na biografia Team of Rivais: The Genius of Abraham Lincoln, escrita pela historiadora vencedora do Pulitzer Doris Kearns Goodwin

 

Como vocês já devem ter notado, o filme conta a história de Lincoln no período de aprovação da 13ª Emenda da Constituição Estadunidense.

Eu, como aplicada estudante de direito – cof-cof –, gostei do filme, pois pude analisar todos o processo de aprovação da emenda, conforme a lei local. Contudo, não gostei somente por isso. Acho importante que todos tenham noção da carga histórica desse evento. A abolição da escravatura nos Estado Unidos serviu de inspiração à luta negra em diversos locais, e a luta de Lincoln nos mostra a sua força de vontade, a busca por um ideal e as formas legais de alcançá-lo.

Adorei ainda ver como eles conseguiram os votos para a aprovação da emenda. Quando estamos na escola, assistimos a uma história linear do mundo, como se todos os fatos fossem listados em uma linha do tempo e pronto. Não vemos, por vezes, os detalhes que fizeram os momentos. Vemos que houve uma emenda, mas qual foi o caminho para esse resultado?

O filme concorreu, dentre tantos Oscars a melhor filme, melhor ator – prêmio que ganhou –, melhor atiriz e melhor coadjuvante. De fato, as atuações foram impecáveis. Daniel Day-Lewis nos mostra esse Lincoln, o presidente, o pai, o marido, o idealista. Um culto advogado, de enorme carisma e força, que consegue convencer um Congresso a abolir a escravidão num país marcado pela Guerra Civil entre um Sul escravgista e um Norte Abolicionista. Embora estivesse torcendo por Hugh Jackman (Jean Valjean em "Os Miseráveis"), achei merecido o prêmio de melhor ator. E Tommy Lee Jones, apesar de não ter ganhado o Oscar de melhor ator coadjuvante, nos mostra um abolicionista, radical, mas teve que moderar suas palavras diante de todos e, de certa forma, negar um pouco sua crença – embora tenha feito um jogo de palavras para não engar abertamente – para que a causa negra pudesse obter alguma vitória.

Enfim, conhecimento histórico nunca é demais, principalmente quando se trata da escravidão e de acontecimentos tão importantes.

Uma mensagem retirada do filme, não fielmente, pois não achei a fala em sua íntegra: “nunca foi perguntado o que vem depois da liberdade; liberdade vem primeiro”

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário