Resenha: Jogos Vorazes - Suzanne Collins




“Katniss escuta os tiros de canhão enquanto raspa o sangue do garoto do distrito 9. Na abertura dos Jogos Vorazes, a organização não recolhe os corpos dos combatentes caídos e dá tiros de canhão até o final. Cada tiro, um morto. Onze tiros no primeiro dia. Treze jovens restaram, entre eles, Katniss. Para quem os tiros de canhão serão no dia seguinte?... Após o fim da América do Norte, uma nova nação chamada Panem surge. Formada por doze distritos, é comandada com mão de ferro pela Capital. Uma das formas com que demonstram seu poder sobre o resto do carente país é com Jogos Vorazes, uma competição anual transmitida ao vivo pela televisão, em que um garoto e uma garota de doze a dezoito anos de cada distrito são selecionados e obrigados a lutar até a morte! Para evitar que sua irmã seja a mais nova vítima do programa, Katniss se oferece para participar em seu lugar. Vinda do empobrecido distrito 12, ela sabe como sobreviver em um ambiente hostil. Peeta, um garoto que ajudou sua família no passado, também foi selecionado. Caso vença, terá fama e fortuna. Se perder, morre. Mas para ganhar a competição, será preciso muito mais do que habilidade. Até onde Katniss estará disposta a ir para ser vitoriosa nos Jogos Vorazes?”

Jogos Vorazes é a conseqüência de uma rebelião, sua utilidade é mostrar a todos os distritos o que a capital pode fazer caso comecem a se voltar contra ela, os modos de jogar são fáceis de entender ou você ganha ou você morre, apenas um ganhador. Katniss e Peeta, os dois jogadores do distrito12, ela a voluntaria que salvou a pequena irmã de ir para o horror dos jogos, ele o sorteado, os dois terão que usar a sorte e as habilidades de lutar se quiserem permanecer vivos e voltar para suas famílias.



O primeiro livro da trilogia envolve aventura e digamos que até uma pouco de romance entre os personagens, fazendo uma combinação que atrai, que da vontade de ler. As minhas expectativas eram de que o livro fosse bom, mas ele me surpreendeu e mostrou ser muito mais que apenas um livro em que o perigo na história é evidente, ele mostra que tem muita coisa por trás de uma sociedade, que é difícil escolher as decisões certas e que mesmo essas podem levar a conseqüências boas e ruins.

Com o passar das paginas o leitor sente o suspense e o medo dos jogadores, a cada morte um novo sentimento, o ódio e o cansaço, e o final você pode desconfiar um pouco, mas você não chega a imaginá-lo da forma que acontece.
“Matar ou morrer. Não há escolha. Na arena, o mais capaz vence. Que os jogos vorazes comecem!”

Nenhum comentário:

Postar um comentário